Print Shortlink

Retomadas as buscas por manhuaçuense perdido no Pico da Bandeira

DORES DO RIO PRETO – O professor universitário Antônio Teodoro Dutra Júnior conhecido como “Rosca”, está desaparecido desde o último domingo (09/07), no Pico da Bandeira, pelo lado de Dores do Rio Preto (ES).

A última informação da manhã desta quarta-feira (12) é que as buscas foram retomadas às 7 horas tanto pelo lado capixaba quanto pelo acesso mineiro.

De acordo com o Corpo de Bombeiros do Batalhão de Guaçuí, que participa das buscas, Antônio estava subindo o Pico da Bandeira pela trilha do Espírito Santo com um amigo quando se juntou a um grupo de 32 pessoas. Ele conseguiu chegar ao cume da montanha, contudo não desceu com o grupo. A vítima ficou um pouco mais, dizendo que desceria logo em seguida, mas desapareceu.

Em um áudio, o amigo de Antônio contou outra versão, segundo o irmão do professor, Alisson Teodoro. Ele relata que não viu o rapaz ao chegar no cume do Pico. “Na subida ele teria se distraído conversando com o pessoal da igreja e não lembrou do Rosca. Quando chegou lá em cima e não o viu ficou preocupado”, disse Alisson, que relatou ainda que o amigo de seu irmão desceu pelo lado do ES na esperança de encontrá-lo no meio do caminho. Sem comunicação entre os postos dos dois Estados, ele pegou o carro e foi até a portaria de Minas Gerais para ver se Antônio estaria por lá, mas não o encontrou.

Ao ser informado do sumiço do rapaz, o diretor do Parque Nacional do Caparaó, Anderson Nascimento, emitiu um chamado de socorro aos Bombeiros, que já estavam se preparando para o resgate de uma adolescente que passou mal no mesmo local.

O grupo de turistas não soube dizer se Antônio teria tentado descer pelo lado do Espírito Santo ou Minas Gerais. Sendo assim, as duas trilhas foram percorridas nesta segunda-feira (10) pelos militares, começando pelo Espírito Santo e descendo por Minas Gerais, porém, sem êxito em encontrar o professor. A suspeita é que ele possa estar perdido no meio da mata.

Ainda segundo os bombeiros, ao anoitecer foi necessário suspender as buscas devido ao frio intenso. Uma equipe específica para atuar exclusivamente nas buscas do professor retomou as buscas na manhã desta terça. O Corpo de Bombeiros de Manhuaçu também encaminhou militares para o loca nesta terça para auxiliarem.

O irmão do professor acompanha de perto todas as ações da equipe de resgate. Ele informou que Antônio foi militar da Força Aérea Brasileira e estava acostumado a subir o Pico da Bandeira, por isso, estava preparado para enfrentar adversidades. “A esperança é encontrá-lo com vida. Ele já subiu outras vezes o Pico e estava bem equipado”, afirma.

Segundo o Tenente Flávio, do Corpo de Bombeiros de Manhuaçu, uma equipe da cidade durante a terça-feira realizou buscas com apoio de guardas e guias do parque. “Fizemos todo o rastreamento pelo lado mineiro. O Capitão Heitor, do CBBMES, está coordenado as buscas pelo Espírito Santo com helicóptero e com cão farejador. Fizemos contato em Belo Horizonte também e colocamos à disposição de trazer cães também, mas ele ficou de avaliar e também com aeronave. Fato é que estamos mobilizados também nesse trabalho. Nesta quarta, mais militares do nosso pelotão retomaram as buscas pela manhã”, detalhou.

Antônio mora no sítio Palmital, zona rural de Manhuaçu, tem aproximadamente quarenta anos e tem como hobby a prática de esportes, como o ciclismo.

ESTUDANTE É RESGATADA DE HELICÓPTERO

Uma adolescente de 14 anos foi resgatada de helicóptero do alto do Pico da Bandeira, na divisa entre Espírito Santo e Minas Gerais, na tarde desta segunda-feira (10).

A menina realizava um passeio com a escola e apresentou insuficiência respiratória aguda ao chegar no topo do pico, que tem 2.891 metros de altitude.

O Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (Notaer)  da Polícia Militar do Espírito Santo foi chamado para auxiliar no resgate da estudante, que foi prontamente atendida por um médico que acompanhava os alunos.

Após receber os primeiros socorros, a menina foi encaminhada com auxílio do Corpo de Bombeiros até o acampamento conhecido como Terreirão, que fica a uma altura de 2.370m, de onde foi resgatada pelo Harpia 05 e encaminhada para o serviço de saúde de Alto Caparaó.

Por: Click Carangola | Com informações A Gazeta e Aqui Notícias.

Participe!