Print Shortlink

Melhor café do Brasil é produzido em Espera Feliz-MG

A neblina que cobre o alto da montanha não deixa mentir… A altitude é grande! O melhor café do país, segundo a Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC), é produzido a 1280m de altura! E este é um dos principais fatores que favorecem a qualidade do grão cultivado em Espera Feliz, a 23 Km de Carangola.

“A gente acredita pelo fator altitude e pela umidade relativa do ar sempre mais alta, o grão permanece mais tempo na planta e, assim, ele retira da planta propriedades que são benéficas para a qualidade do café”, avaliou o produtor rural José Alexandre Lacerda.

Uma ponte separa dois estados e a propriedade de cerca de 25 hectares se divide entre os dois lados, o que significa que parte dos cafezais fica no Espirito Santo e a outra em Minas Gerais. Mas José Alexandre garante: o café que tem sido campeão dos concursos é o mineiro! “Na parte da manhã, o sol bate primeiro aqui na propriedade mineira, então isso a gente acredita que o calor logo enxuga o sereno que cai nas plantas mais cedo, com esse calor, a gente tem conseguido as pontuações mais altas no café produzido aqui na propriedade mineira”.

Para manter a qualidade do grão José Alexandre aposta também na análise de solo, feita anualmente. De acordo com o técnico em Agropecuária da Emater, Júlio de Paula, o processo garante a adubação correta. “A partir da análise de solo, então a gente faz uma recomendação para o período onde deverá essa lavoura receber as adubações no período que vai de outubro a março de cada ano. Adubação equilibrada não só traz um grande desenvolvimento vegetativo na planta, mas também melhora a qualidade do fruto colhido”.

São cerca de 50 mil pés e 15 pessoas estão envolvidas na mão de obra. Como a lavoura não é mecanizada os produtores apostam não na quantidade e sim na qualidade do produto. A agricultura é 100% familiar e a tradição do café vem de décadas! Começou com o pai do produtor Onofre Facerda. “O trabalho do meu pai passou para mim. E de mim, já vai para os filhos e os netos, Então tem mais ou menos 60 anos que a gente faz esse trabalho na lavoura”.

Ali o café é pré-beneficiado. Depois de colhido é descascado e na estufa, passa pelo processo de secagem, é ensacado e vendido para as indústrias da região que beneficiam o produto e distribuem para todo o Brasil e exterior. Na propriedade dos Lacerda, apenas o café para consumo próprio é torrado e moído, mas eles já têm planos, para vender parte, desta forma. “A gente está registrando uma marca e a gente vai pegar esses cafés especiais acima de 84 pontos para estar colocando ele no mercado aí já, já”. Com informações MG Rural.

Por: Click Carangola | Sugestões de pauta: clickcarangola@gmail.com

Participe!