Print Shortlink

Situação “inoperante” do transporte coletivo será discutida na Câmara Municipal de Carangola

CARANGOLA – A situação “inoperante” do transporte coletivo será tema de discussão na Câmara Municipal de Carangola.

Representantes do poder legislativo, do poder executivo e do “consórcio de licitação” do sistema urbano, além de outras entidades devem se reunir esta semana com o objetivo de discutir e avaliar novas propostas.

A Viação Irmãos – empresa do Grupo Unitrans, informou na sexta-feira (05), que algumas linhas que atendem os usuários do transporte público de Carangola teriam seus horários reduzidos a partir do domingo (14).

Após comunicado oficial, vários usuários começaram a reclamar das péssimas condições dos ônibus que circulam pela cidade, além de outros problemas envolvendo o transporte, como o valor da tarifa (R$ 3,10), uma das mais elevadas da Zona da Mata Mineira.

A redução nos horários e na quantidade de ônibus, já em vigor, afeta não apenas os usuários, mas também alguns colaboradores, entre motoristas e agentes cobradores que seriam dispensados.

Em entrevista à reportagem do Click Carangola, o vereador Edimar Grossi afirmou que “o transporte público a olhos vistos está se deteriorando em Carangola, deixando usuários sem acessibilidade e não respeitando seus direitos. Cabe ressaltar que é a administração pública, na figura do prefeito, o responsável por garantir que este serviço seja garantido e realizado, e ao legislativo e a sociedade civil a fiscalização”.

“Diante do exposto e das inúmeras manifestações em redes sociais, está claro que o transporte público em Carangola está inoperante parcialmente, ou seja, existe mas não funciona como deveria. Assim, na busca por informações, como vereador obtive somente vagas explicações, as quais foram apresentadas como agravantes da ineficiência dos serviços: o baixo número de usuários pagantes, o alto número que não pagam por serem idosos (o que é garantido por lei)”, afirma Edimar.

De acordo com o responsável pela empresa, Ronaldo Portilho, “no município de Carangola existe uma lei municipal que agrava a situação, pois para o Estatuto do Idoso é considerado idoso aquele a partir de 65 anos, mas a lei municipal dá garantias de uso gratuito a partir dos 60 anos o que diminui ainda mais o número de pagantes”. Para completar, o responsável afirmou que “não há outras empresas que se disponibilizam a vir para Carangola, pois o mercado se tornou fraco”.

“Diante destas informáticas as quais não me convenceram como vereador, pois gosto de ver relatórios e números, percebi que se as informações forem concretas o executivo precisa agir com eficiência, promovendo ações que visem o aumento do número de usuários e até mesmo redução das tarifas. Acho interessante a criação de passes para o funcionalismo público com bons descontos, parceria com estudantes universitários os quais poderiam pagar 50% do valor, parceria com hospitais, empresas e associações”, afirma Edimar.

“Há previsão de uma reunião entre o responsável da empresa, os vereadores e o executivo. Espero sinceramente que este problema seja solucionado, pois a população usuária merece respostas, respeito e garantias de um serviço operante, acessível e com preço justo”, concluiu.

Por: Click Carangola

Participe!