Print Shortlink

Ramon Menezes destaca volume de jogo do Tombense em vitória sobre Cuiabá

TOMBOS – Início arrasador, gols de jogadas treinadas e volume de jogo. Esses foram alguns dos pontos destacados pelo técnico do Tombense, Ramon Menezes, após a vitória sobre o Cuiabá por 3 a 2, neste sábado, no Almeidão, pela 8ª rodada da Série C do Brasileiro.

Feliz com o resultado e o salto na tabela, garantindo o Tombense no G-4, o treinador elogiou a equipe e destacou a série invicta na competição, que chega a cinco jogos.

– Foi um bom jogo. No primeiro tempo conseguimos fazer dois gols, de jogadas que a gente treina e com base no estudo do adversário. E o primeiro gol de pênalti desde a minha chegada. No segundo tempo, fomos bem equilibrados também. Saio daqui satisfeito pelo resultado. Eu não gosto de tomar gols, é muito ruim e esse foi o nosso terceiro gol em casa sofrido em nove partidas. Mas chegamos a nossa quarta vitória na competição, o quinto jogo sem perder, é seguir bem. Todo mundo está de parabéns – analisou o treinador.

Com o resultado, o Tombense chega a 14 pontos e entra no G-4 do Grupo B da Série C do Brasileiro, e toma, pelo menos, à frente do Cuiabá, que permanece com 13 pontos. O time volta a campo no domingo, dia 10 e visita o Botafogo-SP, às 16h, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto.

Confira outros trechos da entrevista coletiva

Começo arrasador

– Foi um começo muito bom, contra um grande adversário. Temos que dar os méritos ao adversário porque quis jogar futebol. Foi um grande jogo, eles vieram para propor o jogo, diferente de outros times que vêm com 11 atrás da bola. É um time forte, bem treinado e teve o nosso respeito. Mas um empate aqui seria muito ruim, por tudo aquilo que produzimos. Criamos muitas oportunidades tanto no primeiro, quanto no segundo tempo.

Confusão pelo fair play

– Eu não sou muito de falar sobre a arbitragem, mas o pênalti eu vou ver antes de falar. Sobre o fair play, ele precisa ser aplicado, principalmente com os jogadores que estão com a bola. O Daniel estava caído, por que não jogar a bola para fora? Se a gente está em Cuiabá, perdendo o jogo, íamos jogar a bola fora. Eu saio daqui perdendo um dos nossos principais jogadores por isso, o Bruninho. É uma perda muito grande. O árbitro poderia ter parado o jogo naquele momento e nós entregaríamos a bola depois ao Cuiabá.

Bragantino pela frente

– Estamos de parabéns pela entrega, pela luta. Daqui para frente as dificuldades vão aumentar. A gente comemora neste momento, mas já saí daqui pensando no Bragantino. Um jogo lá vai ser muito difícil. Mas eu acho que todo mundo aqui está ciente das dificuldades, trabalhando muito, para que o resultado possa acontecer. É manter isso aí.

Por: Click Carangola | Com informações G1.

Participe!